Relação de amor e ódio: Publicidade x Jornalismo

Portal-Matéria

Existe uma relação de amor e ódio entre o jornalismo e a publicidade. Vista muitas vezes dentro da própria faculdade. A publicidade é tida como vilã por muitos dos nossos colegas jornalistas. Somos todos comunicadores trabalhando no mesmo sistema. Todos no mesmo barco!

 Os jornalistas se sentem muitas vezes presos por não poderem escrever sobre certos assuntos por conta de anunciantes ou políticas que investem nas agências de notícias e influenciam de forma direta no que pode ser dito ou não. Também reclamam dos anúncios que às vezes são maiores do que suas matérias. Muitos que reclamam trabalham no meio impresso. Os textos no digital também diminuíram e são de consumo muito mais instantâneo.

(Mais da relação de amor e ódio entre jornalistas e publicitários. Vale à pena assistir.). 

Com essa insatisfação do meio jornalístico, surge uma imprensa alternativa. O Jornalismo Independente que visa romper relações com a Publicidade. Será que isso realmente existe? Isso é uma ameaça? Temos como andar juntos?

Participei do Papo de 5a que foi sobre o Jornalismo Independente com um dos jornalistas produtores de conteúdo do site Marco Zero Conteúdo: Lula Pinto. Foi uma experiência muito enriquecedora e que me fez ampliar meus horizontes. O Papo de 5a promove rodas de conversas sobre diversos temas e é uma iniciativa de um grupo de estudantes de jornalismo de Recife. Uma proposta bem engajada e de grande importância e relevância para o meio da comunicação.

_MG_7629(Fotografia de Ezequias Alves: Charles Pierre mediando bate-papo com Lula do site Marco Zero Conteúdo.).

13516546_1150197631667416_6891723648409886388_n(Integrantes do Papo de 5a: Hércio Moraes, Charles Pierre, Ezequias Alves, Talles Ruan e Cidicleiton Luís.).

O jornalismo independente é uma tendência e não da para fechar os olhos para ela. Porém analisando todo diálogo que tivemos neste evento, tirei minhas próprias conclusões. Acho que existe uma visão muito romantizada e utópica das coisas no meio jornalístico. Uma contradição de ideais e discursos que gera frustração. Entre os publicitários vemos uma verdade nua e crua. Aceitamos o sistema como ele é. Não somos vilões, somos apenas peças de um jogo muito maior e complexo. É difícil entender com precisão suas entrelinhas. O jornalismo quer se separar da publicidade por um bom motivo, porém continua buscando uma forma de sobreviver financeiramente através deste jornalismo independente.

(Vídeo do Marco Zero Conteúdo falando sobre o jornalismo independente.).

Muitas perguntas foram feitas nesta roda de conversa para saber como é possível ganhar dinheiro com o jornalismo independente. A publicidade conversa diretamente com o capitalismo e uma coisa ficou muito clara para mim: Desculpe-me quem não concorda, mas não existe um jornalismo realmente independente. Ele falou sobre essa questão de conseguir contribuições e até mesmo uma loja onde eles vendem produtos do Marco Zero Conteúdo. Só isso já é uma relação forte com a publicidade. Estão para fechar contratos que vão permitir algum ganho para pelo menos manter o site e etc. Ele não deu maiores detalhes sobre esses contratos, porque ainda estão em negociação. Como o próprio Lula Pinto disse “O termo jornalismo independente é muito problemático. Porque a gente está num sistema capitalista. Não tem como dentro desse sistema ser completamente independente.”.

É um campo novo e estamos num período de mudanças. Muitos profissionais que existem hoje, antes não existiam. Muitos outros irão surgir. É momento de sentir o meio e se permitir. Não existe uma fórmula definida para sabermos como esse jornalismo pretende se manter de forma rentável, mas nós precisamos ficar ligados nesta tendência que se inicia.

2 GOSTEI
2 NÃO GOSTEI

Estudante do quinto período de Publicidade Propaganda e apaixonada pelo universo da comunicação. A louca dos gatos e cantora nas horas vagas.

Comente pelo Facebook